O impacto na produtividade e o surgimento dos coffeeshop

O impacto na produtividade e o surgimento dos coffeeshop

  • Hoje resolvi compartilhar com vocês um fato interessante que vi no Ted Talk do Steven Johnson. Essa é a foto da primeira coffee house aberta na Inglaterra (em Oxford) e a chegada desse tipo de estabelecimento foi fundamental para o desenvolvimento intelectual da época que acabaria culminando no movimento que conhecemos hoje como Iluminismo.

    Hoje quem frequenta o Starbucks e etc não faz ideia que isso começou lá atras e muito antes dos founders de startups e seus notebooks existirem, esse era um lugar de discussão, de aprendizados e do desenvolvimento de ideias.

    Antes do café e chás se popularizarem como bebidas sociais, a bebida de escolha de todo mundo era o Álcool. Como as condições sanitárias dos idos de 1650 eram muito ruins, e não se podia confiar na água, as pessoas acabavam tomando cerveja ou vinho desde a hora que acordavam até a noite e, em todas reuniões ao longo do dia, acabavam bebendo aqui e ali.

    Resumindo, antes das cafeterias se tornarem hypadas a galera ficava bêbada ou de ressaca quase 24 horas por dia. Fora que os bares (pontos de encontro dos homens da época) eram barulhentos, tinham brigas e discussões que não ajudavam muito no desenvolvimento de conversas mais profundas e grupos de estudo.

    Quando essas coffeehouses começaram a aparecer e se tornar moda, rapidamente se tornaram um ponto de encontro masculino. Eram clubes onde se discutia ciências, business, novas ideias, política, medicina, grupos se formavam e também sociedades, parcerias e negócios se iniciavam ali.

    Não é coincidência que esse movimento desencadeou toda uma mudança de cultura, agora mais orientada para a razão, intelecto, individualismo e colocando em cheque a antiga tradição.

  • Muitas instituições britânicas têm suas raízes nesses primeiros cafés. Fundada em 1660, os membros da Royal Society se reuniram em cafés para discutir, debater e trocar conhecimentos. Isaac Newton até dissecou um golfinho na mesa do Grecian Coffeehouse. A Bolsa de Londres evoluiu do Jonathan’s Coffee-House, um café fundado por Jonathan Miles, no Exchange Alley, por volta de 1680.
  • Isso é o que acontece quando você muda o padrão de consumo de uma sociedade inteira, que antes usava um produto depressor e que passou a adotar uma substancia estimulante como lubrificante social.

    Coisas boas e produtivas iam sair disso.

    Acho que nessa quarentena tanto o uso de café, quanto o uso de álcool estão mais evidentes e vejo pessoas utilizando mais os dois. Sobre café não tenho muito o que falar, sou fã e normalmente utilizo SUPERCOFFEE. Porém, ultimamente tenho refletido sobre como o consumo de álcool afeta minha produtividade e por conta disso tenho evitado consumir ao longo dos dias de semana e, volta e meia, resolvo fazer finais de semana mais “limpos” e produtivos, o próximo final de semana será assim. E você? Acha que o álcool impacta a sua produtividade de alguma forma?

Deixe um comentário